DAEV - Departamento de Águas e Esgoto de Valinhos

Dos 23mm aguardados à última semana choveu apenas 6,60mm; acumulado total é de apenas 10,4% do esperado para os 30 dias do mês setembro

Foto aérea de Valinhos (Crédito: Nilo Felippin/DPOF)

O saldo de chuvas dos últimos dias não chegou nem perto do que estava previsto à cidade. Nesta segunda-feira, 13 de setembro de 2021, o Departamento de Águas e Esgotos de Valinhos (DAEV) informou que dos 23mm estimados para caírem na cidade entre quinta-feira (9) e sábado (11), somente foram registrados 6,60mm no ponto de captação de água que a cidade tem no Rio Atibaia (PS7).

Para setembro são aguardados 63,65mm de chuva na cidade, sendo que até 7 horas de hoje (13) choveu apenas 10,4% deste total. “E esse baixo índice pluviométrico é um alerta à cidade, uma vez que sem as chuvas não tem havido a recarga dos mananciais internos. Afinal, é naturalmente por meio das chuvas que a água se infiltra nos solos permeáveis e abastece o lençol freático e as nascentes dos rios”, disse a prefeita de Valinhos, Capitã Lucimara.

Apesar de inicialmente a previsão do tempo para os próximos 15 dias não indicar chuvas para Valinhos a partir de 12 de setembro, conforme noticiado pelo DAEV na última sexta-feira (10), dados atualizados do Climatempo e verificados hoje (13) indicam que para essa semana estão previstos 5mm para quarta-feira (15) e mais 5mm para quinta-feira (16), com mais 9mm estimados ao sábado (18).

Sem reposição de água de forma suficiente para a recuperação dos mananciais internos – que são responsáveis por 38,7% da água distribuída na cidade – as barragens de Valinhos estão operando com capacidade de 48% na Santana do Cuiabano, em 20% na Moinho Velho, em 25% na Figueiras e em 5% na João Antunes dos Santos. “Por isso, economia de água é palavra de ordem para todos os cidadãos e em todas as atividades diárias, lembrando que o DAEV seguirá firme com as fiscalizações e autuações nos casos constatados de desperdício de água tratada”, falou o presidente da autarquia, Ivair Nunes Pereira.   

São consideradas formas de desperdício de água tratada durante a bandeira vermelha do Plano Municipal de Estiagem e Racionamento a sua utilização para as finalidades de lavagens de quintais, telhados, calçamentos e passeios públicos residenciais e comerciais, bem como para o uso em piscinas e similares, assim como a lavagem de veículos automotores no âmbito residencial e irrigação de jardins (excetuando-se os estabelecimentos com alvará à atividade).

Com verificação ativa das equipes de fiscalização, a multa aos infratores é de R$ 441,21, agravada nas reincidências. Denúncias sobre o desperdício do recurso tratado continuam a serem acolhidas via Central de Atendimento do DAEV, por meio do telefone 0-8000-133-839.

Fontes de abastecimento

Além de contar com o abastecimento de mananciais internos, Valinhos também tem abastecimento de manancial externo e de sistemas isolados.

Na captação do Rio Atibaia (PS7) – que corresponde a 50,6% da água distribuída na cidade – a vazão identificada às 7 horas da manhã de hoje (13) foi de 11,68m³/s, ou seja, 5,97% da média esperada ao mês (que é de 12,42m³/s). Já o Sistema Cantareira – de onde o Rio Atibaia recebe a água – está com apenas 34,4% do volume útil nesta mesma data.

Já os sistemas isolados correspondem a 10,7% da água consumida no município e operam sem restrições ao Vale Verde, Country Club, São Bento, San Fernando, Reforma, Parque Valinhos e Flávio de Carvalho. Os poços também fazem parte do Programa de Racionamento de Água.

Compartilhe:

https://twitter.com/intent/tweet?url=